Prêmio José Brazilício de Souza

O Prêmio Brazilício é uma criação do NEOA-JBS (Núcleo de Estudo e Observação Astronômica “José Brazilício de Souza”). Seu objetivo é homenagear aquelas pessoas em reconhecimento à atuação delas no ensino, pesquisa e divulgação da Astronomia em Santa Catarina. A comenda consiste de uma placa em aço protegida por um estojo. A Figura 1 mostra o modelo da placa concedida à Edna Maria Esteves da Silva em 2014.

A origem

A homenagem a astrônomos não é novidade nos encontros brasileiros. Nas edições do ENAST, por exemplo, é comum a concessão de prêmios a astrônomos e astrônomas, profissionais ou não, em diversas categorias: pela construção de instrumentos (Prêmio Jean Texereau), pela pesquisa e observação (Prêmio Jean Nicolini), pela dedicação à Astronomia (Prêmio Ronaldo Mourão) entre outros. Durante os preparativos para o I Simpósio Catarinense de Astronomia (SCA) em 2012, os integrantes da Comissão de Programação daquele evento idealizaram a concepção de uma homenagem simples aos astrônomos e astrônomas atuantes em Santa Catarina. Seria uma maneira de deixar uma marca já na primeira edição do SCA. Uma vez decidida a criação da comenda, não foi difícil escolher o título “Prêmio Brazilício” que, por si só, também é uma homenagem àquele catarinense que se dedicou ao ensino, à divulgação e à observação astronômica em nosso Estado entre os anos de 1882 e 1909. Os integrantes da Comissão de Programação estabeleceram alguns critérios para a concessão do prêmio:

1) A pessoa a receber a comenda não precisa ser catarinense, mas sua atuação na astronomia é notadamente conhecida em Santa Catarina: a exemplo do próprio José Brazilício de Souza que, a rigor, nasceu em Pernambuco, mas notoriamente atuou em nosso Estado;

2) O NEOA-JBS concederá o Prêmio Brazilício uma vez por ano, de preferência, mas não obrigatoriamente, durante a edição corrente do Simpósio Catarinense de Astronomia;

3) Uma vez associando a entrega do prêmio durante o Simpósio Catarinense de Astronomia, a(o) contemplada(o) sempre será participante presente no SCA.

O processo de escolha

Nos meses que antecedem o SCA os integrantes originais daquela Comissão de Programação do SCA 2012 se comunicam entre si a fim de escolherem o nome da pessoa a ser homenageada. Normalmente cada integrante escolhe um nome e explica de forma simples o porquê aquela pessoa, em sua opinião, merece receber a comenda. Outras pessoas podem ser consultadas no processo de escolha, tais como demais coordenadores do NEOA-JBS ou mesmo homenageados com o Prêmio Brazilício em edições anteriores. De qualquer maneira o grupo que decide a pessoa a ser homenageada não é superior a cinco ou seis membros. Por maioria simples de votos é escolhido o nome.

A confecção e entrega da placa-homenagem

O NEOA-JBS é responsável pelos custos de confecção bem como pela entrega da placa-homenagem, sem nenhum ônus para os organizadores do SCA. O nome escolhido é mantido em segredo e revelado publicamente apenas e tão somente durante o evento. Esse é um dos motivos de envolver poucas pessoas na escolha do nome, evitando que vaze inadvertidamente a informação de quem é o contemplado. A Comissão de Programação da edição corrente do SCA é consultada a respeito do melhor momento para fazer a entrega do Prêmio Brazilício. Nem essa Comissão, nem os demais organizadores da edição corrente do SCA sabem quem será o contemplado. O sigilo do nome do homenageado é fundamental. Embora o Prêmio Brazilício seja entregue durante o SCA, a comenda em si não depende do SCA. Se o simpósio deixar de ocorrer num determinado ano, o Prêmio Brazilício será concedido pelo NEOA-JBS por meio de suas atividades locais. No entanto, enquanto for organizado anualmente o SCA, o NEOA-JBS concederá a comenda durante o simpósio. Por isso se escolhe nomes de pessoas participantes do SCA, seja para receber a devida aclamação pública como para interagir e trocar experiências com demais participantes do evento.

Numa parte da programação do SCA, não mais do que dez minutos, um parente de José Brazilício de Souza é convidado a apresentar brevemente os objetivos do Prêmio Brazilício. Na ausência desse parente, outra pessoa atuante nas coordenações do NEOA-JBS, priorizando a Coordenação-Geral, faz tal apresentação. A seguir, a pessoa homenageada no ano anterior é convidada a anunciar a(o) nova(o) contemplada(o) e entregar a placa-homenagem.

A relação de contemplados

Apresentamos a seguir um resumo daqueles que já receberam o Prêmio Brazilício desde a sua criação em 2012.

Silvino de Souza – SCA 2012, Florianópolis. Esse prêmio foi significativo tanto pelo anúncio da criação dele como pela escolha do primeiro contemplado. A entrega foi realizada antes do intervalo da parte vespertina do último dia do SCA, permitindo o contemplado receber as congratulações dos demais presentes durante o intervalo.
Alexandre Amorim – SCA 2013, Videira. Quem realizou a entrega foi o Coordenador-Geral do NEOA-JBS com a participação do contemplado do ano anterior. Houve também um pequeno vídeo explicando quem foi José Brazilício de Souza. Porém, a entrega foi realizada na última parte do SCA.
Edna Maria Esteves da Silva – SCA 2014, Brusque. Também foi entregue na última parte do SCA. A atuação de Edna Esteves como coordenadora no Planetário da UFSC desde 1987 granjeou o respeito de demais instituições, destacando a Associação Brasileira de Planetários.
Adolfo Stotz Neto – SCA 2015, Araranguá. Pela primeira vez a entrega foi realizada no encerramento do primeiro dia do SCA. Isso permitiu, inclusive, que Adolfo Stotz fosse entrevistado pelo jornalismo do IFSC não apenas por ser um dos palestrantes do evento, mas já contemplado com o Prêmio Brazilício.
Diego de Bastiani – SCA 2016, Chapecó. Também entregue no primeiro dia de programação numa sessão que seguia a apresentação sobre os 5 anos de SCA. É significativa porque inicia a escolha de jovens astrônomos já conhecidos regionalmente por meio das edições do SCA.

Alexandre Amorim

Coordenação de Observação Astronômica – NEOA-JBS